Seguidores

sexta-feira, 26 de junho de 2015

E Agora?


Nosso amor era uma fogueira de emoções,
A cada dia transbordava novas chamas...
Um amor verdadeiro, repleto de emoções,       Tecíamos em nossa cama ardentes tramas.

E agora, para quem cantarei minhas canções
Para noites enluaradas? Que triste panorama!
Nosso amor era uma fogueira de emoções,
A cada dia transbordava novas chamas...

Meus anseios e minhas tantas aspirações
Murcharam como flor, restou a triste dama,
Que do amor não conhecia restrições,
Hoje em um novo contexto, exclama...
Nosso amor era uma fogueira de emoções.

dinapoetisadapaz

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Contidos



Alma e coração sedentos, sôfregos
É hora que o corpo pede aconchego
Procuro pelo conforto dos teus braços
Para acalmar o corporal desassossego

Sinto que passeias por minha geografia
Entre os aclives e declives do meu corpo
Derramas tuas doces carícias e magia
E em pensamento voamos ao topo

Todo o teu amor expresso em versos
Faz-me orgulhosa em ser musa e amante
Deleito-me! Meu coração fica em festa

Faço-me menina, faço arte e faço versos
Caminho pelo teu coração e vou avante
E contidos um n'outro em pele e versos.

dinapoetisadapaz



Brincando com a Chica nº 13



Botando a cabeça para funcionar...(13)



Uma  flor não fala, mas pela singeleza que seus movimentos expressa, toca nosso olhar e nos remete à reflexão ,  e é justo externar o sentimento que a imagem passa aos nossos olhos.

dinapoetisadapaz


 http://chicabrincadepoesia.blogspot.com.br/

 

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Semente de poesia



Plantada em mim a semente poesia,
germina palavra alada,
sobrevoa o infinito dos meus olhos,
busca encontrar um mundo em cores.

Constrói  ponte, passarela
galhos e jardins,
quer ser raiz, folha, flora e frutos,
e é, em poemas nascidos
nos vãos entre a ponte  sensitiva e o coração.

Poesia é como ave migratória
que busca sobrevivência,
insinua-se como Deusa,
aninha-se no coração do poeta,
faz-lhe fingidor e sofredor .

 dinapoetisadapaz


Semente de poesia



Plantada em mim a semente poesia,
germina palavra alada,
sobrevoa o infinito dos meus olhos,
busca encontrar um mundo em cores.

Constrói  ponte, passarela
galhos e jardins,
quer ser raiz, folha, flora e frutos,
e é, em poemas nascidos
nos vãos entre a ponte  sensitiva e o coração.

Poesia é como ave migratória
que busca sobrevivência,
insinua-se como Deusa,
aninha-se no coração do poeta,
faz-lhe fingidor e sofredor .

 dinapoetisadapaz


terça-feira, 23 de junho de 2015

Positividade







O tempo insiste em querer consumir,
Meu doce e feliz prazer de viver.
Se alma e coração estão a sorrir,
O tempo não pode me entristecer.

O meu saudável e bom humor
O tempo não pode destruir,
A alegria se achega para impor
Se a tristeza tenta interferir.

Tenho uma gama de belezas
Que permeia os meus dias
Tenho Deus, minha realeza
Motivo das minhas alegrias.

Agradeço pela dádiva da vida,
Pela evidente positividade
que há mim; pessoa inusitada?
Não... Apenas uma qualidade.


dinapoetisadapaz

Qualquer felicidade



Dizem que a felicidade,  é está  cercado de muitas coisas boas , e tal...
E no entanto há quem se contente  com uma boa  amizade.
Eu desejo expressar aqui o agradecimento às criaturas blogueiras  que  seguem minha humilde página e fazem festa no meu coração.
A felicidade se manifesta dentro de cada um de várias formas. Ser feliz é questão de aceitar a sua realidade, a revolta pelo não "TER", é a maior das infelicidades. Só temos o que merecemos, não adianta atropelar o tempo... Deus sabe tudo!
 O Afeto Colorido nasceu em 04 de maio, 2014, hoje mudei a cara do blog e nome do mesmo. 





Diz a música portuguesa :
 Uma canoa no rio
Uma sardinha na brasa,
Um amor dentro de casa
Um cobertor para o frio,

Felicidade sonhada é,
É só isso e quase nada.




segunda-feira, 22 de junho de 2015

Pouco Importa (Rondel)


Pouco importa as antigas decepções
Que desalinhou minha estrutura interior.
Importa a certeza de que as privações
Ensinaram-me a conter e a decompor.

Aprendi a arrumar as minhas gavetas,
Ouvi com atenção, do coração um clamor.
Pouco importa as antigas decepções
Que desalinhou minha estrutura interior.

Alma leve, coração aberto às novas emoções,
Na velocidade do tempo, esvaiu-se a dor,
Tudo arrumado para captar novas sensações
Meu coração está como um botão em flor.
Pouco importa as antigas decepções.


dinapoetisadapaz

Desilusão Poética


No mundo das linhas,
das entrelinhas,
meus pensamento eu rabisco,
dou vida, forma e cores
ao meu canto, ao sonho,
e transformo meu pranto
num largo sorriso.

Escrevo, danço,
apresento meus traços
e penso que faço arte.
Mas, eu não escrevo é nada.
Simplesmente eu não aconteço!

O que me falta?
O que é preciso descobrir?
O talento,
o jeito certo
de poetizar?

Falta coerência,
Ou sobra inconsistência?

Vou procurar
o verbo “IR”,
ir em busca
da inspiração.


dinapoetisadapaz



Doces Lembranças


De ti, guardo as mais doces lembranças
E o sabor dos seus ardentes beijos...
No instante que se desfez nossa aliança,
Senti no peito o mais forte dos arquejos.

Meu coração vive em perene sangria,
Sofre calado, de ti separado, sufocando
Meu viver; sem teus carinhos minha alegria
Transformou-se num triste penar, amargando

A saudade das noites de amor aquecida
Em teus braços com pleno assentimento.
Hoje no meu ninho, há espinhos e feridas.
Escrevo esses versos como um linimento

Para meu coração que ainda sofre a dor
Do afrouxamento dos laços que nos unia.
Ah! Quanto amor prometido com furor
Mas, pensando bem, tu apenas fingias.

dinapoetisadapaz



sábado, 20 de junho de 2015

História de 77 palavras


Desafio nº 92 lá da Margarida, no Conte com 77 palavras:

TAREFA:

Vamos a uma associação de ideias?

Se juntarmos estas duas sensações/sentimentos

– FRIO + ESPANTO

e estes dois comportamentos/acções

– REVOLTA + REPETIÇÃO,

que situação aparece?



















Rodrigo trabalhava num  escritório  onde Júlio seu melhor amigo cometeu suicídio. Certo dia, precisou ficar até mais tarde, quando sozinho estava ; ouviu vozes, também  estrondos, noutra sala.
Causou-lhe REVOLTA, tremenda barulheira, aquela REPETIÇÃO sucessiva atrapalhava seu raciocínio. Parou tudo, foi conferir, para sua surpresa, cenas chocantes deram-lhe FRIO, para seu ESPANTO,  Júlio veio em sua direção.
Na verdade, tudo aconteceu em função do medo que Rodrigo sentiu quando lembrou-se da morte do amigo. Assim acontece, medo mata!


http://afetocolorido.blogspot.com.br/2015/06/historia de-77-palavras.html   

                                                                    
dinapoetisadapaz