sábado, 22 de agosto de 2015

Para um poeta triste





Quando a transpiração acontece
o poeta entristece,
E da poesia ele esquece,
Basta-lhe o canto d'um colibri
Para a inspiração lhe sorrir,
Por em seus olhos o brilho do rubi.

 É a dádiva divina que acontece,
 E de luz a tua mente abastece.
Ah! Poeta se tu soubesses,
Ou sequer entendesse,
Que o teu leitor agradece
Quando a poesia em teu coração renasce!


dinapoetisadapaz

4 comentários:

  1. Que lindo poema,mais uma,Diná!! Que o poeta triste se inspire novamente! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. A poesia brota quase sempre de tristezas e fragilidades.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Como é maravilhoso poder começar o dia lendo tão belo momento querida amiga ,muitos beijinhos e um lindo e feliz Domingo

    ResponderExcluir
  4. O poeta fica triste quando não pode colocar suas inspirações no rascunho de um papel,mas você as colocou divinamente amiga Diná nesses versos tão lindos.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir

Seu comentário será bem vindo, deixe suas impressões ,sua visita será retribuída com carinho.

Bom dia, Boa tarde, Boa noite!