Seguidores

domingo, 2 de agosto de 2015

Teimosia II



                                
Não sou
um exponencial da poesia,
isto eu sei!
Mas conservo a esperança,
e me esforço para escrever
versos abundantes...

Não me sinto
uma escrevedora
de ideias estreitas,
mas, ainda não nasceu
um poema corpulento,
aquele que enche os olhos
do leitor.

Mesmo assim,
sinto-me longe do desengano.
Há um verso teimoso
circulando pelas artérias,
seja bom um ruim,
ele nasce, sim!

 Minha produção literária
não é farta,
essa escassez, não
furta meu desejo
de escrever.
Atropelar o tempo? Não!
Sou como nuvem esperando
o sopro divino
dos bons ventos.


dinapoetisadapaz