Seguidores

terça-feira, 24 de novembro de 2015

A Pedra



 
 Natureza fez-me pedra,
exibe minha imponência
ante o sisudo tempo.
Sou mística,
sou solidão, alimento-me
de olhares, sou destaque
das montanhas,
sou indecifrável.

Posso ser ouro
de diversos quilates,
quando crua, ignorada,
se lapidada,
sou gema cobiçada,
desperto olhares longínquos
sou riqueza nacional,
sou pedra preciosa
Sou ganância mundial!

 dinapoetisadapaz

6 comentários:

  1. Uma simples pedra, que tem a magia de tornar como elas os corações ambiciosos...
    Belo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Diná um poetizar bem diferente e com palavras bem reflexivas.
    Eu adorei.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. Tua sensibilidade e eloquência fazem do poema uma verdadeira escultura poética
    Belíssimo minha amiga. Aplausos pra você
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  4. Dina, destacomo do poema estes versos:

    "Posso ser ouro
    de diversos quilates,
    quando crua, ignorada,
    se lapidada".

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Diná!
    A beleza e a magia de uma pedra bruta, foi esconder em sua intimidade um magnífico Davi, que só pôde ser visto pelo genial Michelangelo!
    Abraços!

    ResponderExcluir



Seu comentário será bem vindo, deixe suas impressões , sua crítica, desde que não ofensiva me servirá de aprendizado e contribuição para melhora do meu trabalho poético.

Sua visita será retribuída com carinho.
Que Deus abençoe seu dia, sua tarde, sua noite!

Bom dia, Boa tarde, Boa noite!