Seguidores

sábado, 24 de junho de 2017

A Silhueta ( soneto livre)



A luz da divina lua que a sua janela clareava,
Deixava à mostra a tua silhueta imponente
A passear em teu quarto, e eu imaginava
A sua real nudez... devaneios eloquentes!

E ali solitário, lascivo, e você não se entregava,
Apenas provocava, o meu desejo era premente.
Murmurava, sonhava, e em te corpo eu passeava.
Queria-te amante, sentir em mim teu corpo quente.

Perdia-me na tua sombra que me deslumbrava,
Ensandecia-me por querer-te tão loucamente.
E assim, todas as minhas noites, tu obsedava.

E num ímpeto, em meu quarto te fizeste presente!
O teu cálido oceano de mistérios, eu desejava.
Quase incandescente, te abracei... Finalmente!



9 comentários:

  1. Maravilhoso momento querida amiga ,um luar envolvente e cheio de mistérios eloquentes que nos fazem sonhar ,muitos beijinhos no coração felicidades

    ResponderExcluir
  2. Finalmente!!!Lindapoesiae inspiração,Dina! bjs, ótimo domingo,chica

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Dina.
    Que linda poesia, amei ler. Um feliz domingo. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Such a great post! Thanks for sharing.

    ResponderExcluir
  5. Inspiradíssima, querida Dina, belo poema!
    Um ótimo domingo.
    Beijo, amiga.

    ResponderExcluir
  6. Quanta sensualidade e romantismo neste inspiradíssimo poema amiga Diná
    Um feliz domingo
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Um tocante momento em seu sensual poema! Simplesmente, belo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Que soneto lindo Diná!
    Sensual e ao mesmo tempo envolvente com suas palavras a doce lua.
    Bjs e um lindo final de domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  9. A atracção física que depois pode dar lugar a algo mais.
    Boa semana

    ResponderExcluir

Seu comentário será bem vindo, deixe suas impressões ,sua visita será retribuída com carinho.

Bom dia, Boa tarde, Boa noite!