Seguidores

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Desilusão


Entreguei-me a ansiedade de tê-lo.
Esperei como o amanhecer espera o sol,
Era imenso o brilho dos meus olhos...

Enfim, vieste...,
Solícito, cheio de ternura.
Uma lágrima caída em minha face
confessou todo meu afeto.

Mas, foste fraco
ao primeiro obstáculo,
como uma onda que se desmancha
na areia  e morre,
assim  morreu seu falso querer.

Como chuva,
Todas as palavras ditas,
caíram por terra.
Não há desilusão que perdure
Em coração ávido de superação.


6 comentários:

  1. Seu poema "Desilusão" termina como uma poeta otimista que faz das "pedras da vida", uma escada para novas subidas! Que "a chuva" leve para o solo as desilusões e faça brotar a esperança de dias felizes!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Lindo seu poema,querida amiga Diná.

    Mas sempre se supera tudo e recomeçamos escrevendo uma nova página do livro de nossa vida e rasgando as ruins.

    Sempre haverá um novo dia e o sol brilhará!

    Obrigada pela visita e volte sempre.

    Linda noite de sexta_feira e fim de semana

    Beijos sabor carinho

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
  3. Num viver de altos e baixos tudo se supera quando no nosso coração habitam palavras como fé amor e esperança ,lindo momento querida amiga ,beijinhos muitas felicidades

    ResponderExcluir
  4. Linda superação! Bonito poema, Diná.
    Muita paz, saúde e o meu abraço...

    ResponderExcluir
  5. Desilusão é um sufoco e demora a passar!!!
    Gosto ... bj

    ResponderExcluir

Seu comentário será bem vindo, deixe suas impressões ,sua visita será retribuída com carinho.

Bom dia, Boa tarde, Boa noite!