Seguidores

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Assim nos despedimos


Nevou forte na minha febre,
Febre que me deixava ardente.
Percebi, que nada mais em ti,
Já não me embevecia como antes.

Senti uma distância enorme
Embotando minhas eloquências.
Tornei-me sisuda, inacessível.
Estranhei-me!
Como pude mudar tão de repente!

Um sentir repressor
Como que a condenar
Nossa relação...
O tédio fez-se presente
Por toda aquela noite.

Nada questionei,
Apenas sabotei
Minha acessibilidade.

Eis que amanheceu...
Não lhe abracei,
Não lhe dei o beijo habitual,
Não fiz amor contigo.
Era perceptível a mudança!

Em minha frente,
Vi um estranho,
Apressada e anciosa
Olhei friamente
E lhe disse: acabou...!

As palavras perderam-se no vento!
Vento de amor caído por terra.
Assim nos despedimos...!
Sem mais uma palavra.
dinapoetisadapaz

13 comentários:

  1. Que lindo! Romântico, embora triste por expressar uma angústia oriunda de amor que estava se esvaindo como areia entre os dedos. Amei!
    Beijos no coração!

    ResponderExcluir
  2. Despedidas são tristes...Linda em poesia! bs, chica

    ResponderExcluir
  3. Um poema que embora triste, é lindo e romântico. Parabéns grande Poetiza. Abraços

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Diná
    Fabuloso poema que gostei de ler e vaguear. Parabéns.

    Bjos
    Boa sexta-Feira

    ResponderExcluir
  5. " Amor quando perde o viço nenhum carinho consola", já dizia uma velha canção. E é assim mesmo, quando o desgaste vem, não tem jeito. Mas que o poema´e lindo, isso é. Sempre lindo por aqui. Beijos mil.

    ResponderExcluir
  6. Um poema com uma triste despedida... O amor precisa ser cativado para que a chama ardente cresça mais e mais...
    Versos bem traçados, Diná!
    Obrigada pela visita no Fragmentos Poéticos... Bj

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito desse poema, Diná, mostrou uma decorrência quando as coisas não fazem mais sentido, e o término foi dramático, como são sempre.
    Gostei muito por relatar a vida como ela é - segundo Nelson Rodrigues.
    Beijo, amiga!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Diná
    Os sentimentos mudam, nem sempre são eternos...
    E quando o amor acaba... o melhor mesmo é pôr fim na relação.
    Você o exprime lindamente em seus belos versos.
    Parabéns. Gostei muito.

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  9. Senti a poesia falar bem alto, gostei! Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Tudo pode acabar num instante... até o amor.
    Magnífico poema, parabéns.
    Bom fim de semana, amiga Diná.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. O Amor é imutável. As dores da reciprocidade e da confiança podem tornar-se tormento de vida.
    Na verdade, é preferível terminar a relação de proximidade, do que mantê-la com amargura de nada ter feito.



    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
  12. Uma despedida dorida e dolorosa.
    Bjs, boa semana

    ResponderExcluir
  13. Todas as despedidas são dolorosas, as definitivas, então, causam um sofrimento atroz. Quando o amor acaba, ou melhor, o amor se existiu, não acabou, o que terminou foi a capacidade de o regar todos os dias, como se faz com aquela plantinha delicada que temos em casa.. Manter um relacionamento é dificil, mas se houver paciência, respeito e cumplocidade, dando sempre ao oitro a liberdade de ser ele mesmo, creio, ele resiste. Mas aqui, no teu poema ele não se aguentou e teve que se fazer uma dolorosa despedida. Foi bonita, apesar de tudo, pois deu inspiração para um belo poems. Parabéns, amiga! Um beijinho
    Emilia

    ResponderExcluir



Seu comentário será bem vindo, deixe suas impressões , sua crítica, desde que não ofensiva me servirá de aprendizado e contribuição para melhora do meu trabalho poético.

Sua visita será retribuída com carinho.
Que Deus abençoe seu dia, sua tarde, sua noite!

Bom dia, Boa tarde, Boa noite!