Seguidores

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Virando a página


Por muito tempo nossas almas
viveram em sintonia quase perfeita.

Era um amor sem tormentos,
havia muita ternura,
e grandes alegrias,
até o dia que nossos corações
resolveram não mais pulsar
no mesmo ritmo.

Não sei se a rotina 
ou inconformismo,
abriu-se um leque
em forma de caminho,
você partiu pra outras paragens.

E quando o diálogo cessou
veio a solidão a dois,
vida de aparências?
nunca!
Logo,ditei meu veredicto!
 Revirei as gavetas da alma
e do coração,
consultei meu caderninho
e lhe vi na página virada!

dinapoetisadapaz

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Obrigada meu Deus!



Começo meu dia recebendo os raios de sol que adentram pelas frestas da janela, o calor que reanima minhas forças me tira da cama com energia de leão, e então agradeço ao meu Jesus, pelo sono reparador, por mais um dia de vida para agradecer as bênçãos, pois não são poucas as que tenho recebido, nem sei se mereço tanto meu Deus...!  

Obrigada meu pai por me presentear com esta Paz que ora desfruto, pela minha saúde e condição de vida tranquila aqui na minha humilde e pacata cidade.

dinapoetisadapaz

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Mar de Lágrimas




Uma espera alimentada de sonho dourado
enchia meu peito de esperança, eu flutuava.
De paixão, palpitava meu coração apaixonado
E no meu mar de lágrimas, sozinha, sobrenadava.

A vida já implorando algum revérbero...
Mais e mais a solidão acinzelando meus dias.
As noite escorrendo lentas, quisera um mensageiro,
Um sussurro do vento, ou qualquer eufonia...

Um impulso para rasgar o véu da tristeza,
Um marasmo me envolvendo na preguiçosa nuvem.
Nem tinta nem papel há sobre minha mesa,
Para desenhar uma aquarela com sua imagem,

E assim, talvez eu possa ver-te além do meu olhar
Admirar a tela, me abastecer da tua suposta presença.
Já sufoquei o horizonte, onde vivo a te procurar
Com meus olhos de esmeralda, cheios de esperança.

dinapoetisadapaz

domingo, 8 de janeiro de 2017

Desilusão

 
Sozinho na mesa do bar
bebendo goles de desilusão.
Enquanto a madrugada calada
se arrasta, arrasta também seus pensamentos
que tocam profundamente o ego corroído.

Pensa na vida, na morte,
na mulher amada que sigilosamente
se foi, sem nada dizer.

Preso a tantos questionamentos
uma dor cortante,
explícita em sentimentos
faz seu corpo tremular.

-onde eu errei?
É tudo tão confuso!

Debruçado em suas lágrimas,
seca o lago dos olhos,
ver seus dias acabados
vegetando no nada,
sente-se abatido, caído,
bebe suas mágoas
na taça da amargura.
-para onde foram todos?

Ah! Se eu fosse um poeta
que finge sofrer, essa minha dor,
eu transformaria em poesia,

mesmo que fosse uma triste poesia!

dinapoetisadapaz

sábado, 7 de janeiro de 2017

És Passado

Começando 2017 com uma postagem de desapego.


Percebo que os teus anseios
adoeceram de esquecimento.
Por mais que eu te faça rodeios
maior é o teu desvanecimento?

Se meu amor por ti é doentio,
desse mal preciso me curar.
Ao meu coração lanço o desafio...
para com a razão, não mais brigar.

Em dado momento do passado
quando a juventude fazia-me crível,
pensei no nosso amor eternizado,
ilusão, hoje o fim é imprescindível.

Natural, tudo vem e nada traz solidez,
no teu coração de cristal, trincado,
não cabe mais um ”te amo”, perdeu a vez,
digo-te em voz declarativa... És passado!
dinapoetisadapaz